Aqui jaz uma cidade

ecocidio_marginal34

O pedaço de solo que guarda as raízes e troncos de árvores centenárias é apenas um trecho dos 19 hectares nas margens do rio Tietê que serão impermeabilizados e pavimentados para a construção de 6 novas pistas para fluxo de veículos motorizados.

O custo monetário é de R$1,5 bilhão (que pode até triplicar com adicionais e outras benesses e arranjos feitos com as construtoras). O impacto ambiental da obra é brutal, especialmente em uma cidade já por demais castigada com o estímulo ao transporte individual motorizado (política que pode ser traduzida como “a morte de uma cidade”).

São Paulo escolheu este caminho faz tempo e poucas vezes desviou a rota, tanto que o engenheiro responsável pela obra argumenta que “Apenas o Rodoanel não basta! É preciso que TODAS essas obras sejam concluídas”, em referência a um projeto “estratégico” que envolve dezenas de bilhões de Reais e uma série de túneis, pontes, viadutos e garagens…

A referência ao Rodoanel é uma resposta ao argumento de que a ampliação da Marginal seria desnecessária, já que o também impactante e igualmente bilionário trecho Norte do anel viário reduziria o trânsito na via expressa. Ou alguém não se lembra de ouvir aos quatro ventos durante a aprovação da licença ambiental do Rodoanel que ele “acabaria pra sempre com o trânsito na Marginal”?

ecocidio_marginal17

A aprovação de todos os projetos, planos e armações deste período recente da carrocracia paulistana foi feita da mesma maneira e com a mesma rapidez que um buldozer derruba uma árvore. Nunca se viu tamanha velocidade desde a aprovação do projeto, realização de (uma) audiência pública, aprovação de orçamento e colocação das máquinas em funcionamento.

Se você ficou indignado ao comparar essa rapidez toda com o tempo que leva para pintarem uma faixa de pedestres naquela esquina difícil de atravessar, para que qualquer iniciativa cicloviária seja concluída ou para que as linhas linhas pontilhadas se transformem em linhas contínuas no mapa do metrô, pergunte ao calendário eleitoral. Tente também uma busca por “constutora” e “doação” no google. Some a isso o gigantesco lobby do automóvel, acrescente 15% de comissão e quem sabe encontrará uma resposta.

A cidade de São Paulo vive mais um momento crítico de sua História, não apenas com a ampliação da Marginal, mas também com a sabotagem em curso do Plano Diretor Estratégico e com uma série de iniciativas que não deixam longe o horizonte de uma cidade totalmente “bunkerizada”, uma mistura de SUV City, Robocop e Mad Max, a não-cidade dos não-humanos.

ecocidio_marginal33a

O assalto a qualquer possibilidade de vida sustentável e de constituição de uma cidade democrática e agradável tem mais um capítulo importante nesta segunda-feira (22).

A partir das 15h, na Câmara Municipal, acontece (talvez) a úlitma audiência pública sobre o projeto de lei 671/2007, que praticamente formulou por decreto um novo Plano Diretor Estratégico para a cidade, desconsiderando garantias fundamentais e uma série de procedimentos que deveriam ter sido colocados em prática depois da aprovação do PDE em 2002.

Nas postagens seguintes, mais explicações sobre a chamada “revisão” do Plano Diretor. Durante a semana, mais textos, articulaçoes e reflexões para superar a brutal e arrebatadora investida da sociedade do automóvel contra a cidade de São Paulo.

clipping
fotos: Aqui jaz uma cidade
+ fotos: [ciclobr][uol][preservasp]
video – Nova Marginal, capítulo 1
vídeo – Massacre do MotorSerra
Os marginais do Tietê não param – EcoUrbana
Campanha Adote Uma Árvore na Marginal Tietê – EcoUrbana
sobre a “adequação viária” da Marginal – ecologia urbana
Vem aí a freeway do Serra – ciclobr
Soletrando “estupidez” com imagens – Different Thinker
Começam audiências de revisão do plano diretor – Estado de SP
Construtoras doaram a membros de comissão – Estado de SP
Menos árvores = Mais Carros – Cotidianices
4 cases of how tearing down highways can relief traffic jams (and save your city)

Compartilhe

29 Comments

  1. Posted 22/06/2009 at 8h08 | Permalink

    Infelizmente, os projetos de ciclovias, ruas humanizadas, estímulo ao uso das bicicletas no trabalho e planos cicloviários são baratos, quase não custam nada ao poder público se comparado com estas obras carrocrátas! Custo baixo, baixa comissão, baixo “por fora”, baixa corrupção, baixo retorno político = baixo interesse político em realiza-las! Enquanto os nossos políticos continuarem sendo eleitos por terem feito estas obras em detrimento das que realmente seriam boas para a sociedade, das que reduziriam o tráfego, que aumentariam o uso do transporte público de qualidade, que enfim, humanizariam Sampa, isto NUNCA VAI SAIR! O pior é que isto ainda é o que convence os menos informados e grande parte das pessoas em Sampa, vcs que afinal votaram neles! Mudar isto começa mudando a cabeça de quem está lá em cima ou quem elege estes doidos!

  2. Posted 22/06/2009 at 10h03 | Permalink

    A velocidade com que articularam a chacina foi, realmente, espantosa. Milagres do processo eleitoral.

    O prédio do INSS na av. 9 de julho, que foi desocupado na mesma semana, está há quase 10 anos em sendo “adequado”.

    Há determinação de que ele seja dedicado à moradia popular, mas segundo o Ministério das Cidades e INSS o processo é lento mesmo.

    Por um bom tempo, o prédio do INSS permanecerá desocupado, a Marginal permanecerá ocupada.

  3. Posted 22/06/2009 at 10h25 | Permalink

    Que tristeza…

  4. Waldemar Luiz Kunsch
    Posted 22/06/2009 at 10h39 | Permalink

    Alargar as marginais do Tietê e do Pinheiros não é nenhuma prioridade para São Paulo, considerando-se que está sendo construído o Rodoanel – aliás, uma proridade pouco priorizada.
    Mais importante do que isso seria atacar imediatamente os problemas de avenidas “internas” da cidade: Bandeirantes, 23 de Maio, Santo Amaro, extensão da Roberto Marinho até as rodovias dos Imigrantes e Anchieta… E, é claro, o problema das ciclovias.
    Não dá para entender os “responsáveis-pouco-ou-nada-responsáveis” pelo sistema viário de São Paulo: governador, prefeito, vereadores, Departamento de Obras Viárias, CET… Quantas promessas dos senhores Serra e Kassab se arrastando!… E será que esses órgãos todos não têm gente que entenda um pouco mais de planejamento urbano, engenharia de trânisto etc.? Lamentável!
    Waldemar Luiz Kunsch

  5. Ricardo
    Posted 22/06/2009 at 11h02 | Permalink

    Agora querem se redimir
    http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=202175

    Eu não acredito nisso …. mais uma mentira…

  6. Posted 22/06/2009 at 12h22 | Permalink

    Na calada da noite …
    Uma devastação cruel, verdadeira chacina!

  7. Antonio Miranda
    Posted 22/06/2009 at 12h30 | Permalink

    Thiago,

    Não moro em São Paulo, como você sabe.
    Mesmo assim deixo uma lágrima pendurada na face pelas árvores tombadas.
    Também meu apoio incondicional aos ciclistas da paulicéia desvairada.

    Quanto aos automóveis e aos homens de ferro que ganham com projetos desta desnatureza destinados a estas carroças infernais, deixo meu dedo do meio em riste bem no céu das suas inconsciências. Jamais iria sujar meus dedos onde eles mais mereciam.

  8. Leonardo
    Posted 22/06/2009 at 14h54 | Permalink

    RIP GM
    RIP SP
    Vida longa Streptococcus pneumoniae

  9. Henrique M. Torres
    Posted 22/06/2009 at 15h46 | Permalink

    Um horror! Onde estão os “ecologistas de boutique” que protestam contra o desmatamento da Amazônia e fecham os olhos para esse absurdo? E o que dizem os órgãos ambientais de SP (estadual e municipal)? E a mídia???

  10. daniela
    Posted 22/06/2009 at 16h18 | Permalink

    O artigo é revoltante e urgente. Mas, uma coisa: outro sintoma dos tempos loucos é o português castigado. Vamos corrigir a palavra LICENÇA no 4o parágrafo para que a razão esteja ainda mais deste lado!

  11. Leo Vinicius
    Posted 23/06/2009 at 5h15 | Permalink

    Esse fato, de indignar, me fez lembrar do forte movimento anti-estradas que surgiu na Inglaterra nos anos 1990.

    Se um troço desses fosse feito lá, na época, ia ter muita batalha campal. Muito provavelmente teria forte resistência direta ainda hoje.

    Mas locais e contextos diferentes… só sonhando com ‘eco-guerreiros’…

  12. Daniel Campos
    Posted 23/06/2009 at 9h15 | Permalink

    Meu deus… São Paulo já é um pesadelo para se andar de carro, e vão piorar ainda mais?

    Digo piorar porquê por exemplo é muito mais difícil entrar e sair de uma via de tantas faixas do que uma com poucas faixas, uma coisa que aprendi por exemplo em São Paulo é que se você cometer o erro grave de errar o ponto de sair da via não consegue mais voltar (e isso se você CONSEGUIR entrar na faixa correta para sair). E é inútil simplesmente colocar mais ruas, porquê o espaço físico é finito. Elas simplesmente vão ser enchidas com mais e mais carros e logo o problema estará na mesma novamente.

  13. Posted 23/06/2009 at 10h28 | Permalink

    Parabéns pelo post. Esse assunto estava atravessado na minha garganta, sobretudo porque moro a um quarteirão da devastação. São Paulo já era, infelizmente. Eu desisto.

  14. Rafael
    Posted 23/06/2009 at 11h00 | Permalink

    só posso lamentar pelos paulistanos e como consolo dizer q essa desumanização da cidade não é restrita a vcs, Brasília segue o mesmo rumo, onde o asfalto vai se espalhando, dominando a cidade até finalmente nos sufocar
    ao invés de nossos representantes olharem pelo bem estar dos carros deveriam prezar por um transporte público mais humano e eficiente, não q esse caminho fosse o mais difícil, até acredito q fosse infinitamente mais fácil, mas infelizmente essa opção não é lucrativa para os vermes q consomem a sociedade por dentro

  15. Sérgio
    Posted 23/06/2009 at 18h27 | Permalink

    Me vem à cabeça aquela imagem de um cogumelo de fumaça sobre a cidade que aparece quando as condições da atmosfera não permitem a dispersão da poluição. Parece que os PILANTRAS que governam nossa cidade não estão satisfeitos e querem ainda mais. Também foi bem lembrada por outro comentarista a omissão de uma parcela supostamente esclarecida e que gosta de aparecer na mídia com discursos enfeitados, os ecologistas de boutique. Triste o destino da nossa São Paulo…

  16. claudio ribeiro
    Posted 23/06/2009 at 21h22 | Permalink

    Acompanho, daqui de Curitiba, mentirosamente chamada de eco-cidade…e paulistano que sou, choro a desgraça que se abate sobre a velha city.
    pior é saber que pra cada arvore Serra-da, alem de um carro a mais, será dada a liberdade de construir alem do que determina a lei.

    Vergonhoso ! Triste !

    sem mais palavras…

  17. Matias Mickenhagen
    Posted 24/06/2009 at 9h00 | Permalink

    O mais estúpido disso tudo é afirmarem que para cuidar ainda mais da cidade, do leito do rio, estão fazendo estas obras todas, absurdo completo. Essa gente não têm vergonha na cara?

  18. Jeferson
    Posted 24/06/2009 at 9h23 | Permalink

    Aqui em Porto Alegre, a situacao vai para a mesma direcao. Prometem metro, ciclovia e respeito, mas entregam prioridade para o automovel, destruicao dos bairros e cooperacao com as destruidoras construtoras. Pior que, quanto mais a gente faz, se organiza, luta, parece que pior fica.

  19. Jeferson
    Posted 24/06/2009 at 9h26 | Permalink

    Soh pra completar: aqui, acabaram de erguer um viaduto de 30 milhoes. O dinheiro investido de fato na educacao nos seis primeiros meses deste ano nao passou de 3 milhoes (o previsto no orcamento, pra fingir que respeitam a lei, foi 28 milhoes no ano).

  20. João Cunha
    Posted 24/06/2009 at 10h36 | Permalink

    Como vc disse, São Paulo escolheu esse caminho. Agora será (ainda) mais difícil ter um rio dentro da cidade, e todos os espaços antes públicos estarão preenchidos por avenidas que permitem apenas a presença do espaço privado.
    Que pena.

  21. Posted 24/06/2009 at 11h39 | Permalink

    Onde será a ciclovia dessa obra?
    se não houver tirem suas bike da garagem e façam um protesto, matar árvores e não dar ciclovias é um crime duplo contra a natureza.

  22. Marcelo Antonio
    Posted 24/06/2009 at 14h01 | Permalink

    galera, enviei o link da matéria pro Paulo Henrique Amorim e ele postou, está aqui

    http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=12754

    Abraços

  23. Marcelo Antonio
    Posted 24/06/2009 at 14h02 | Permalink

    Isso é bom, pois o Blog dele recebe quase três milhões de visitas por mês

  24. Nei Simas
    Posted 24/06/2009 at 18h27 | Permalink

    Para que é engenheiro, arquiteto, urbanista:

    O Instituto dos Arquitetos do Brasil, Departamento de São Paulo – IAB também está proterstando contra a barbaridade que está sendo feita pela cumplicidade entre o goverdo do estado e a prefeitura…….

    Abaixo Assinado a favor da Moção de Protesto e Repúdio GT Patrimônio Histórico do IAB-SP

    Por solicitação de vários arquitetos e entidades, disponibilizamoas abaixo um link onde será possivel o colega aderir ao abaixo assinado em favor da Moção de Protesto e Repúdio sobre o projeto de ampliação das pistas da via Marginal do rio Tietê ao longo de 15 quilômetros a partir do anel viário conhecido como “Cebolão”

    http://www.iabsp.org.br/noticias.asp?nota=1057

  25. Esther Pallares
    Posted 25/06/2009 at 11h23 | Permalink

    Não dá pra não ficar muito indignada e triste,mas já é bem tempo de nos unirmos cada dia mais pra impedir uma total destruição da Vida!São loucos e inconsequentes!Deveriam ser queimados numa grande fogueira de notas irreais…….

  26. Esther Pallares
    Posted 25/06/2009 at 11h26 | Permalink

    Profundamente triste e lamentavél………..

  27. fransciso Halley
    Posted 25/06/2009 at 11h52 | Permalink

    Será que temos ainda argumentos para esse tipo de gente que a tudo destroi,aniquila,e ainda quer dar uma de “bom cidadão”achando que está na”Ordem e Progresso” de seus proprios interesses???

  28. Toninho Carrasqueira
    Posted 26/06/2009 at 19h13 | Permalink

    Mais um crime cometido pelo poder da grana e o lobby do automóvel que destruiu nossa malha ferroviária e está destruindo nossas vidas.

  29. Posted 14/12/2009 at 11h55 | Permalink

    Que barbárie! Como se diz aqui na Bahia, quanto mais eu rezo mais assombração me aparece.

    Fico pensando se é falta de consciência, de informação , ignorância , estupidez, burrice, compromisso ou tantas outras faltas…

    Enquanto isso, a CET anda de botes para resgatar os sobreviventes; Triste São Paulo!!!

    Tenho um blog transitocompaixao no http://www.ibahia.com que trata do assunto trânsito e mobilidade. Participem e parabéns pelo site.

9 Trackbacks

  1. By Como matar uma cidade « gira-me on 21/06/2009 at 23h49

    […] Aqui jaz uma cidade, o Apocalipse Motorizado comenta a obra de ampliação da Marginal Tietê e a revisão do Plano Diretor Estratégico para a cidade de São Paulo. […]

  2. […] Apocalipse Motorizado […]

  3. By Bicicletada Guarapuava on 22/06/2009 at 15h32

    […] matéria completa do apocalipse motorizado aqui:  http://www.apocalipsemotorizado.net/2009/06/21/aqui-jaz-uma-cidade/ […]

  4. […] informações AQUI e AQUI. Bons […]

  5. […] Apocalipse Motorizado […]

  6. […] Aqui jaz uma cidade – Apocalipse […]

  7. By Hora da Patrulha « Hora da Patrulha on 26/06/2009 at 9h23

    […] “Aqui jaz uma cidade” – “FHC, Serra, Kassab: tá todo mundo lá no Sivam” – “Um quarto do orçamento é […]

  8. […] para ficar bem informado sobre o assunto tenho seguido o apocalipse motorizado, do(a) luddista, leia no site dela(e) o post aqui jaz uma cidade. […]

  9. […] iniciativa da Kassab e Serra de proibir a circulação de ônibus fretado no centro da cidade e de derrubar árvores para ampliar pistas na marginal, em Londres existe uma clara política pública em favor do transporte coletivo e alternativo. […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*