Sim, governador, a culpa é da Natureza…

video: “Das rad” / site oficial

E antes que algum diversionista tente fazer confusão: ninguém disse que a enchente foi causada pela obra da “Nova” Marginal. O que se afirma é que a impermeabilização de 19 hectares para novas pistas de rolamento às margens do rio Tietê irá tornar mais frequente este tipo de acontecimento. Não tem firula, é lógica simples e direta.

MP quer suspensão da obra da Marginal e Serra culpa a natureza

Share

3 Comments

  1. Posted 10/09/2009 at 19h10 | Permalink

    Esse vídeo é fantástico. O governo tenta distorcer os dados, tivemos aquela mega enchente quando o rio transbordou, de 124 mm. Agora tivemos metade disso e o governo vem alegar que essa foi pior que a outra.

    Com o término das obras, com chuvas de 30 milimetros já teremos pontos de alagamento, o rio nem vai precisar transbordar para alagar as pistas. Nem precisa ser matemático ou cientista para saber o óbvio.

    Mas o pior nem é isso, nem é a obra, e a insistência de caminhar na contramão. Me disseram em meu site “Mas a obra vai sair e pronto, tem que batalhar para que as ciclovias sejam feitas como manda a lei”.

    Prefiro continuar sem ciclovias e tentar parar uma obra (por mais impossível que possa parecer) do que daqui a 20, 30, 40 anos, ver a próxima geração gastando bilhões para consertar a cagada que estamos fazendo hoje.

  2. luciana
    Posted 10/09/2009 at 21h59 | Permalink

    A questão é que em macrodrenagem só temos uma certeza: um dia vai encher. Com a mudança nos padrões de chuva, a possibilidade é que encha ainda mais!!
    Por isso vários países começaram a mapear suas áreas inundáveis e a retirar delas usos incompatíveis com inundações periódicas, tentando também preservar as várzeas e suas funções (socio)ambientais… A diretiva européia contra enchentes é bastante expressiva nesse sentido e o próprio município de São Paulo vem implantando vários parques lineares!
    No caso da marginal, a desculpa básica para a construção das novas pistas (em texto do Eduardo Jorge na Folha há algum tempo) é que devemos ter políticas de curto, médio e longo prazo para resolver a questão da mobilidade. Essa seria a de curto, aliás, curtíssimo porque não vai adiantar nada…
    Agora minha pergunta é: qual corredor de ônibus – política bastante efetiva, mais barata e de curto prazo – foi feito nessa gestão ou na anterior???

  3. Marcelo
    Posted 11/09/2009 at 18h30 | Permalink

    Sobre o comentário irônico do governador: o burrinho é mais inteligente do que o automóvel como solução de transporte e mais inteligente do que o excelentíssimo como ser pensante.

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*