Como matar um corredor de ônibus

Este é o corredor de ônibus da av. Rebouças. E aí você pergunta: “Mas cadê os ônibus?”.

Desde o início das operações da suposta via expressa para coletivos, a administração municipal decidiu liberar também o fluxo do transporte público individual. Taxis (que geralmente transportam um passageiro) podem circular no local destinado aos ônibus (que transportam pelo menos 50 pessoas).

A liberação “provisória” do transporte individual no espaço dedicado aos coletivos começou em agosto de 2005 e é renovada de tempos em tempos por decreto. Vale para todos os poucos corredores “exclusivos” de ônibus de São Paulo. A mais recente edição da medida provisória eternamente em vigor libera o transporte individual no espaço coletivo até setembro de 2010.

Além dos taxis, veículos particulares também podem circular nos corredores de ônibus aos sábados e domingos. Ou seja, se você escolher ir pra balada de ônibus no sábado à noite, vai ter o seu deslocamento prejudicado por centenas de carros.

Afinal, poucas cidades sabem desvalorizar o transporte coletivo como São Paulo.

Share

10 Comments

  1. carlota
    Posted 29/04/2010 at 18h08 | Permalink

    a ideia eh diminuir o numero de veiculos circulando. os taxis circulam com pelo menos um passageiro por vez. devem fazer umas 20 (?) corridas por dia no minimo. sao 20 carros a menos na rua, galera. se os taxis nao ficarem presos nos engarrafamentos vao poder servir mais pessoas, e talvez vc pense duas vezes antes de por o seu carro pra rodar sabendo que pode chegar mais rapido de taxi. nao querendo comparar duas cidades tao diferentes, mas o transito em londres, apesar de rodar no sentido contrario, flui melhor que o de sampa e os milhares de black cabs podem usar as faixas exclusivas dos onibus!

  2. matias
    Posted 30/04/2010 at 0h07 | Permalink

    Sou totalmente contra esse uso das faixas de coletivos por individuais. O taxi serve a um individuo, o coletivo a muitos, e essa segunda função deve ser a prioridade, sempre!
    Pode comparar São Paulo a Londres sim carlota, compare o metro, os ônibus de boa qualidade, o esforço da prefeitura para criar espaços para a bici, muita coisa boa que não temos aqui.
    Esta uma ruim que compartilhamos é um deserviço ao coletivo e uma ode ao individualismo, tanto lá quanto aqui. Mas como não temos as outras coisas boas aqui, as conseqüências por aqui tendem a ser piores.

  3. Posted 30/04/2010 at 10h53 | Permalink

    “poucas cidades sabem desvalorizar o transporte coletivo como São Paulo.”

    Mas vou te falar… Curitiba está se esforçando! Nos aguardem. Se ainda somos “modelo” de qualquer coisa no que se refere a planejamento urbano / transporte coletivo, é porque as abissais mudanças da década de 70 foram tão eficazes que seus efeitos respingam um pouco até hoje ainda…
    Não que eu goste do Lerner, mas ele FEZ alguma coisa. Criou o sistema de ciclovias (tudo bem, não servem pra nada, mas é um começo), o ônibus bi-articulado com tubos e canaleta REALMENTE exclusiva, transformou metade da Rua XV em Calçadão, etc. Queira ou não, estávamos indo na direção certa.
    Mas desde então, uma administração após outra vem fazendo tudo errado, e não só, faz de tudo para destruir o pouco que restou essas conquistas de 40 anos atrás.

    E não vai melhorar.

  4. Posted 30/04/2010 at 14h52 | Permalink

    Olá,

    Realmente preocupante essa história de que só os carros tem vez em nossa cidade. Chegamos, efetivamente, ao fim da linha de suportável em nosso cotidiano.

    Uma questão fica no ar: afinal de contas, os transportes coletivos – responsáveis pelo deslocamento de um contingente enorme de pessoas que fazem essa cidade funcionar – devem ter apenas uma faixa exclusiva (e ainda, como vimos aqui, sempre invadida por carros) para a sua circulação?

    Que democratização precisamos em nosso espaço urbano?

    Abraços.

  5. Posted 01/05/2010 at 23h28 | Permalink

    você disse bem: “ir pra balada de ônibus”
    se dissesse: ir e voltar da balada de ônibus, estaria falando de outro lugar, aqui se vc não quer ir de carro é obrigado a dormir na rua até que os ônibus voltem a circular.

    mais uma crítica

  6. Posted 02/05/2010 at 11h33 | Permalink

    http://bicicletadademaceio.blogspot.com/2010/04/licitacao-dos-transportes-publicos-de.html

  7. Pedro M
    Posted 04/05/2010 at 9h25 | Permalink

    “poucas cidades sabem desvalorizar o transporte coletivo como São Paulo”

    E uma delas é Brasília. Tenta andar de ônibus aqui, pra ver. Média de 20min de espera na parada em bairro de classe média (imagina quanto você espera na periferia).

  8. Posted 27/05/2010 at 20h44 | Permalink

    Chegando atrasado na discussão… Discordo totalmente da Carlota. O táxi faz o mesmo percurso que o carro faria, portanto só por isso já empatou. Mesmo que 20 pessoas trocarem o carro pelo mesmo táxi, esse táxi fará 20 deslocamentos com a mesma distância que o automóvel particular percorreria, ou seja, não adiantou em nada. Mas não é só isso, tem um agravante: o carro particular chegaria ao destino e estacionaria, ficando sem circular até o momento de voltar para casa. Já o táxi, após deixar o passageiro, vai circular novamente para buscar outro passageiro ou voltar ao ponto.

    Trocando em miúdos, 20 pessoas que deixam o carro em casa para usar o táxi substituirão 40 deslocamentos de seus automóveis por 40 + x deslocamentos do tal táxi, sendo x um número imprevisível. O taxista pode ter que circular bem mais sem passageiro do que com um dentro do carro.

    O uso do táxi em substituição ao carro particular não ajuda em nada a diminuir os conegstionamentos. Pelo contrário, é um carro que vai circular o dia todo. E ainda vai atrapalhar o fluxo dos ônibus, trafegando na faixa que, um dia, já foi exclusiva.

    Na dúvida entre ir com seu carro e ir de táxi, vá com seu carro. Ou melhor, deixe de ser egoísta e fresco e vá de ônibus.

  9. Cristiano
    Posted 27/05/2010 at 23h56 | Permalink

    Desculpem discordar dos radicais mas esse video esclarece as coisas por si só. Os taxis em momento algum atrapalham os onibus. Se querem reclamar blz, mas postem um video em que os carros atrapalhem entao né. Pode até ocorrer em uma ocasiao ou outra, mas no geral isso é uma falácia.

    E antes que tentem me bater, pego 4 onibus por dia que trafegam pelas maiores faixas exclusivas de sp, logo, sei do que estou falando.

  10. Jose
    Posted 20/11/2011 at 22h27 | Permalink

    Contra fatos não há argumentos. Os corredores qdo exclusivos só pioram o trânsito. E um sub aproveitamento da via. O único transporte que substitui o carro e o Metro. Muitas avenidas como a Roque Petroni passaram a ter trânsito após o corredor. Para terminar SP a muito tempo tem a maior frota de ônibus do mundo. Se ônibus e corredor fosse a solução o problema há muito estaria resolvido

One Trackback

  1. […] Como matar um corredor de ônibus, vídeo, Apocalipse Motorizado Televisão no meu busão, não, artigo, […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*