A segurança da baixa velocidade

[youtube=http://br.youtube.com/watch?v=Bpf9WEKYvGY]

O comercial é de uma rede alemã de ferramentas e produtos para a bricolagem.

No bairro carioca da Tijuca, o dispositivo “faça você mesmo” não será necessário. As ruas da Tijuca serão primeiras a experimentar a segurança das “Zonas 30″, áreas onde a velocidade dos motorizados será reduzida para aumentar a segurança de ciclistas e pedestres.

Além da Tijuca, outros bairros do Rio de Janeiro poderão ser beneficiados pela redução do limite de velocidade, caso o projeto das “Zonas 30″, apresentado pela associação Transporte Ativo, seja colocado em prática.

Máquinas pesadas e velozes são uma ameaça à vida e uma das grandes barreiras para quem está começando a usar um veículo a propulsão humana.

A equação é simples: mais velocidade = menos tempo de reação, tanto para o motorista, quanto para os demais ocupantes das ruas.

A redução da velocidade é imprescindível para a criação de cidades humanas. Permitir que automóveis, ônibus, caminhões e motos trafeguem a 70 ou 80km/h dentro do perímetro urbano é legitimar o genocídio motorizado, perpetuando o assustador índice da OMS, que aponta os “acidentes” de trânsito como a principal causa de mortes de jovens e crianças no mundo.

Em 1961, os estadunidenses Paul e Percival Goodman já afirmavam que não havia razão para que os veículos em circulação na ilha de Manhattan trafegassem em velocidades superiores a 40km/h. Mais ousada era a proposta de simplesmente banir os automóveis da “grande maçã”.

Infelizmente um dos pilares do lobby automobilístico é o estímulo à velocidades criminosas, perpetuando a ilusão de que o deslocamento em automóveis é algo instantâneo: basta entrar, girar a chave, acelerar e pronto, você já chegou ao seu destino.

A redução da velocidade e as iniciativas que visam propagar o respeito e a convivência nas ruas são tão ou mais importantes que a construção de ciclovias. Aliás, faixas segregadas para bicicletas não seriam sequer necessárias se a velocidade máxima permitida  em algumas ruas fosse a velocidade média do trânsito, ou seja, 30km/h.

Share

3 Comments

  1. Posted 12/09/2008 at 11h57 | Permalink

    Nas poucas vezes que ando de carro durante a semana (devo andar uns 20km, contra uns 150km pedalando) não passo de 40km/h… Já acostumado com o ritmo “lento” da bicicleta, não vejo necessidade de andar mais rápido.Além disso, ainda consigo fazer 10km/l de gasolina em um carro 1.8 carburado…

  2. Posted 13/09/2008 at 9h50 | Permalink

    A propaganda é genial. Parabéns pela escolha.

  3. Posted 14/09/2008 at 0h11 | Permalink

    Adoro comerciais com surpresa no final hahahaha

2 Trackbacks

  1. […] ruas fosse a velocidade média do trânsito, ou seja, 30km/h. – do Blog Apocalipse Motorizado http://apocalipsemotorizado.net/2008/09/12/a-seguranca-da-baixa-velocidade/ […]

  2. […] de trânsito. Brincando de velocidade da infância à morte Noite de sexta, manhã de sábado A segurança da baixa velocidade Da estupidez e suas alternativas Angústia, raiva e solidão Esta entrada foi escrita por […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*