25 contra (G)8 – 25 against (G)8


“Danger, G8 in action”

Um cheiro ruim tomava a Praça do Ciclista na manhã da última sexta-feira. Era Dia de Ação Global contra as Mudanças Climáticas e o G8. Em diversas partes do planeta, as pessoas ocupavam as ruas para dizer não à inércia dos 8 líderes reunidos atrás de grades e exércitos na Alemanha durante a cúpula do G8.

A bad smell surrounded Bicyclist’s Square last friday morning, Global Direct Action Day against G8 and Climate Change. All around the world, people relcaimed the streets to say no to the letarghy of the 8 leaders that met in Germany behind fences and armys.

[álbum de fotos / photo album]

[ações internacionais / international actions]

Em São Paulo, 25 seres humanos reunidos para celebrar a vida, a convivência e a sustentabilidade em uma Bicicletada pela vida. Na Alemanha, apenas oito seres humanos decidiram manter a guerra, o desperdício e o consumo predatório que segue destruindo vidas e o planeta.

In Sao Paulo, 25 human beings joined to celebrate life, sustainability and the act of living togheter in a Critical Mass ride for life. In Germany, there’re only 8 human beings deciding to keep war and preadatory waste of resources that destroys the planet and kills lifes all around the globe.

A manhã na Praça do Ciclista teve o plantio de uma árvore, em homenagem ao morador de rua morto por um automóvel no último dia 25 de maio, madrugada que antecedeu a bicicletada daquele mês. O homem, de nome ainda não descoberto, foi morto enquanto dormia.

A tree was planted on Bicyclist’s Square. It was in honor of a homeless man that was sleeping below the Square and was killed by a car on may 25th, a few hours before may Critical Mass take the streets to celebrate life.

“Please contribute to (stop) the revolution”

Primeira parada: Consulado Italiano. Fiats, Ferraris, Masseratis, Lamborghinis e Berlusconis matam milhares de seres humanos a cada ano.

First stop: Italian Consulate. Fiats, Ferraris, Masseratis, Lamborghinis and Berlusconis kills thousands of human beings every year.

Segunda parada: sede da Petrobrás. Transformar o brasil em um imenso canavial para sustentar a locomoção irracional pelo automóvel não é solução energética nem ecológica, mas sim a manutenção do estado de guerra e destruição ambiental.

Second stop: Petrobrás building, the brazilian fuel company. The plan to make Brazil become a huge cane brake is no energetic or ecological solution, but only a way to fuel an obsession and keep the state of war, enviromental destruction and irrational mobility standarts.

Desmontados das bicicletas, em direção à terceira parada: Consulado do Japão. Hondas, Toyotas e Mitsubishis matam outras milhares de pessoas por ano em todo o mundo.

Off the bikes on the crosswalk, going to the third stop: Japan Consulate. Hondas, Toyotas and Mitsubishis kills thousands of people every year all around the world.

Quarta parada: Consulado Francês. Renaults e Peugeots poluem tanto quanto os outros. Em São Paulo a poluição mata cerca de 8 pessoas por dia. Mais da metade da poluição atmosférica da cidade vem dos automóveis particulares.

Fourth stop: French Consulate. Renaults and Peugeots pollute as much as the others. In Sao Paulo, air pollution kills about 8 people a day. More than a half of the air pollution comes from private cars.

Still We Ride

Quinta parada: Consulado Alemão. Mercedes, BMWs e Audis propagam valores individualistas, estimulam a agressividade e colaboram com o estado de guerra em que vive o planeta.

Fifth stop: German Consulate. Mercedes, BMWs and Audis spread individualism and agressivity, contributing to the planetary state of war.

Who makes profit on that?

Na frente do consulado inglês, a terra em perigo nas mãos do poodle de guerra Tony Blair.

In front of British Consulate, Earth on Danger on the hands of war poodle Tony Blair.

Eles reciclam o lixo de São Paulo.

They’re responsible for recycling in São Paulo.

Love against war.

Ethanol is a lie.

Mr. Puttin was’t there.

We’re traffic.

Massa Crítica na Daslu, a loja da high society paulistana. O G8 da garôa parece ter nojo da própria terra: frases em inglês logo na entrada, serviçais vestindo roupas de mordomo francês, ali do lado do fétido rio Pinheiros e da miséria do terceriro mundo.

Critical Mass at Daslu, the store where the richest people in Brazil shops. Our “G8-people” shop there and seems to feel nausea about their own land: english written phrases, employees dressing french butler clothes, just beside the polluted Pinheiros river and surrounded by third world favelas.

Consulado canadense no World Trade Center São Paulo: a Terra em perigo (e não é por causa do Bin Laden).

Canadian consulate on World Trade Center Sao Paulo: Earth in danger (and it’s not because of Bin Laden).

Consulado estadunidense. Do lado de fora, parece Guantánamo.

U.S. Consulate. Outside, it looks like Guantanamo.

Recado para Mr. Bush na frente do Consulado.

Note to Mr. Bush: “Brazil isn’t a cane brake / G8: State Terror”

66 anos de idade, 22 anos pedalando.

66 years old, 22 years riding.

Um presente da Bicicletada: um carro a menos!

A gift from Critical Mass: one less car!

Share

4 Comments

  1. Anonymous
    Posted 11/06/2007 at 23h38 | Permalink

    Agradeço essa manifestação! Eu acredito que nós ciclistas somos e estamos séculos à frente da média da consciência humana!!!
    Renata Falzoni

  2. Maíra
    Posted 12/06/2007 at 1h03 | Permalink

    bem massa a intervenção de vocês. parabéns. pelo menos uma manifestação decente contra o g8 em são paulo =P

  3. jupercio
    Posted 12/06/2007 at 16h34 | Permalink

    Pedido.
    Onde consigo a arte deste adesivo para o cano da bike “Um carro a menos!” ?
    Por gentileza respondam para
    jupercio em yahoo ponto com ponto br

    Abraços

  4. Anderson
    Posted 14/06/2007 at 19h38 | Permalink

    Gostei da manifestação. Acredito que cada vez mais devemos fazer barulho para que talvez, algum dia, a situação mude.
    Há tanto para se fazer…!!!
    Abraço

5 Trackbacks

  1. […] em julho de 2001 por grupos anticapitalistas que protestavam contra o G8 (seis anos mais tarde, outra Bicicletada tomou as ruas com o mesmo propósito).Em 2002, os encontros de massa crítica começaram a acontecer mensalmente. O foco da Bicicletada […]

  2. […] árvore plantada na Bicicletada contra o G8 e as mudanças climáticas segue por […]

  3. […] pitangueira plantada durante a Bicicletada contra o G8 e o Ipê do Dia Sem Carro seguem firmes e fortes na Praça do Ciclista. Postagem em homenagem aos […]

  4. By Somos mais de 20 « Pedalante on 01/04/2009 at 12h02

    […] Contra o G8 […]

  5. By G20 só com Bicicletada « Pedalante on 03/04/2009 at 9h16

    […] outras cúpulas: 2008 – Bicicletas contra o G8 […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*