A ilusão da liberdade ou o desespero cotidiano

Túnel Ayrton Senna, São Paulo.

Obra construída sob fortes indícios de superfaturamento.

Cada carro, uma pessoa

Cada pessoa ocupando 15 metros quadrados de espaço público.

Velocidade média: 10km/h.

Ônibus e bicicletas não podem circular no local.

Propaganda em 1996: aliviar o trânsito na região.

Finalidade em 2007: ligar um congestionamento ao outro.

[Para que servem os viadutos][Que congestionamento?]

Share

3 Comments

  1. Lilx
    Posted 04/08/2007 at 11h32 | Permalink

    Ontem foi um dia caótico em São Paulo, greve no metrô, rodízio liberado, sexta feira, 170km de trânsito. Às 20:00 saí de casa pra ir num teatro e chegar meia hora depois (parece coisa de louco sair de casa essa hora, mas fui de bici). Catei a Marginal sem nenhum medo, até por que estava muito bem parada, é uma sensação maravilhosa atravessar o corredor de carros parados. Cheguei no meu destino exatamente 30 minutos depois como eu tinha estimado (o bom da bici é que você não precisa contar o tempo do trânsito). O show foi ótimo, era um campeonato internacional de improvisação de palhaços, fui à convite de uma amiga, era minha primeira vez e dei muitas risadas. Pois bem, cheguei ao local, era um colégio, perguntei se havia bicicletário.. negativo, prendi minha bici numa grade do estacionamento mas tudo bem. O engraçado foi no final do show, pra estacionar no local havia um vallet park que cobrava R$10, formou-se uma fila única enorme pra pagar o estacionamento e as pessoas esperarem os manobristas trazerem o carro. Fora os palhaços que vi improvisando, também me diverti com os ‘palhaços’ na fila esperando o carro. Catei minha bici fui em até o fim da fila, e pedalei do lado da fila por toda a extensão até a porta de saída tocando o sininho da bici e dando tchau. Não teve preço.

  2. Ulisses Adirt
    Posted 06/08/2007 at 8h47 | Permalink

    Simples e direto.

  3. Sérgio Tourino
    Posted 07/08/2007 at 9h25 | Permalink

    Pois é… outro dia fui num “xópim” e percebi a mesma coisa: a pessoa perde tempo no trânsito para chegar, depois na fila para pagar o estacionamento, e depois de volta no trânsito! E eu tranqüilo de bicicleta… e depois falam que de carro é “rápido”! :)

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*