Concurso de idéias: Ponte Daslu – Pq. Cidade Jardim

(anúncio encartado há alguns meses no jornal Valor Econômico)

“Perspectiva de vida é morar de frente para o cartão postal da cidade”. Será que o casal loiro se refere à fétida e congestionada Marginal Pinheiros ou ao shopping center instalado no jardim do seu palácio?

Esse é o anúncio do Parque Cidade Jardim , o empreendimento imobiliário de mais alto luxo já construído no Brasil. São 17 vagas na garagem do apartamento mais caro, que custa R$18 milhões de reais. Do outro lado do rio poluído e das vias expressas congestionadas está a Daslu, centro de consumo para grã-finos acusado de superfaturar importações e sonegar impostos (na mais típica e nojenta conduta da minoria branca há 506 anos).

Como fazer com que os milionários do Parque Cidade Jardim chegem até a Daslu sem pisar no território brasileiro, aquela terra miserável e desigual que tanto lhes causa repulsa e medo?

Inscrições até 31 de agosto.

Diz o regulamento:
“O objetivo deste concurso é discutir, de forma crítica e bem-humorada, um fenômeno que vem se tornando comum entre os moradores dos grandes centros metropolitanos brasileiros: o medo de se misturar à população de baixa renda. Mais do que isso, este concurso pretende discutir também a nova tendência estética adotada em edifícios residenciais e comerciais destinados às classes média e alta: o neoclassicismo.

O recém lançado empreendimento Parque Cidade Jardim, em São Paulo, que tem como principal fonte de inspiração o Palácio de Versalhes, reunirá um shopping center de luxo, academias de ginástica e edifícios residenciais e comerciais, com o objetivo de permitir que os moradores trabalhem, consumam e se divirtam sem sair de seus portões.

O Parque Cidade Jardim situa-se no bairro do Morumbi, às margens do Rio Pinheiros, praticamente em frente a outra construção em estilo neoclássico, a loja da Daslu. O local é cercado por favelas e conjuntos habitacionais de baixa renda.

Os participantes deverão desenvolver propostas para uma ligação (ponte, túnel, teleférico ou qualquer outro tipo de ligação aérea, aquática ou terrestre) entre o Parque Cidade Jardim e a loja Daslu. As propostas devem permitir que os moradores do novo empreendimento imobiliário possam ir às compras na Daslu de maneira asséptica, sem correrem o risco de serem assaltados, seqüestrados, ou ficarem presos no trânsito, como se nunca tivessem deixado os portões de seu condomínio de luxo. As propostas devem ser interessantes, criativas e bem humoradas”.

Share

14 Comments

  1. Falansterio
    Posted 14/08/2006 at 1h44 | Permalink

    Ai meu Deus, onde vamos parar!!!

    Olhem essa parte:
    ”o medo de se misturar à população de baixa renda”

    Estamos criando vários muros de Berlim e não estamos percebendo.

    17 vagas de garagem?????? hahahaha só rindo…

    Viva a Modernidade Depressiva, Acidentes de carro, depressão, suícidio e cãncer

  2. nóis!
    Posted 14/08/2006 at 14h49 | Permalink

    R$18.000.000,00 num apartamento! Eu repito: 18 MILHÕES DE REAIS!!!!

    Como pode uma coisa dessas!? Qtas escolas, qtos projetos sociais, Postos de Saúde etc etc poderiam seriam beneficiados com essa grana q será investida em um único apartamento!? Onde o Brasil vai parar desse jeito!?

  3. nóis!
    Posted 14/08/2006 at 14h49 | Permalink

    R$18.000.000,00 num apartamento! Eu repito: 18 MILHÕES DE REAIS!!!!

    Como pode uma coisa dessas!? Qtas escolas, qtos projetos sociais, Postos de Saúde etc etc poderiam seriam beneficiados com essa grana q será investida em um único apartamento!? Onde o Brasil vai parar desse jeito!?

  4. Dysprosio
    Posted 14/08/2006 at 20h41 | Permalink

    Vale ler o livro “Comunidade” do Zygmunt Bauman. O autor fala justamente das “concessões” em relação a liberdade que os ricos fazem… tudo para manter o “estrangeiro” do lado de fora.

  5. Ináciohttp://i.nacio.com.br
    Posted 14/08/2006 at 22h11 | Permalink

    Deixando todas as questões que estão nas linhas e entrelinhas dos textos sobre o assunto de lado, acho que essa exacerbação megalomaníaca da desigualdade social vai dar muito errado. Para eles.

    Quer fazer algum protesto contra a desigualdade de renda? Vá ao Pq Cidade Jardim. Jogue forte a pedra e atinja a Daslu.

    Quer provocar atentados que saiam fortemente na mídia?

    Quer saber um bom ponto de partida para um seqüestro de sucesso?

    Assim como a sonegação da Daslu só veio à tona depois de abrir um mega-shopping com até helicóptero dentro, esse Pq Cidade Jardim vai se tornar o grande foco da grã-finagem.

    Não precisa pensar muito, tá alí do lado.

  6. Inácio
    Posted 14/08/2006 at 22h11 | Permalink

    Deixando todas as questões que estão nas linhas e entrelinhas dos textos sobre o assunto de lado, acho que essa exacerbação megalomaníaca da desigualdade social vai dar muito errado. Para eles.

    Quer fazer algum protesto contra a desigualdade de renda? Vá ao Pq Cidade Jardim. Jogue forte a pedra e atinja a Daslu.

    Quer provocar atentados que saiam fortemente na mídia?

    Quer saber um bom ponto de partida para um seqüestro de sucesso?

    Assim como a sonegação da Daslu só veio à tona depois de abrir um mega-shopping com até helicóptero dentro, esse Pq Cidade Jardim vai se tornar o grande foco da grã-finagem.

    Não precisa pensar muito, tá alí do lado.

  7. Willian Cruzhttp://freeride.blig.ig.com.br
    Posted 15/08/2006 at 22h10 | Permalink

    Olha, pelo que entendi no site do concurso (apócrifo, por sinal), me parece que é sacanagem… Quer dizer, até tem um concurso e tal, mas é justamente para sacanear com os futuros palacianos.

    Na página do concurso tem link para um manifesto dos moradores da Favela Jardim Panorama contra a desapropriação de seus barracos. No final da página, tem o seguinte comentário:

    ” Concurso Ponte Cidade Jardim/Daslu
    Organização do concurso 19/06/2006 13:03
    concurso.ponte@yahoo.com
    Ao ver no jornal A Folha de São Paulo a notícia sobre o lançamento desse empreendimento e sobre o manifesto da Favela Jd. Panorama, resolvemos lançar um concurso com a finalidade de discutir, de forma bem-humorada, esse fenômeno que vem se tornando comum entre os moradores dos grandes centros metropolitanos brasileiros: o medo de se misturar à população de baixa renda. O objetivo do concurso é desenvolver, de forma bem-humorada, propostas para a interligação do Parque Cidade Jardim com a Daslu, que também foi ‘vítima’ de manifesto semelhante. A participação no concurso é aberta a todos (não apenas arquitetos e estudantes), e seu regulamento está disponível no site
    http://www.geocities.com/concurso.ponte/

    Eu acho que o tal concurso até é válido como crítica social, desde que o resultado seja divulgado como tal, exposto à mídia e aos palacianos que lá residirem, em forma de sátira.

    Como o site do concurso foi feito com uma abordagem séria, é muito fácil ser mal interpretado. Me parece que essa abordagem séria é satírica. Espero estar certo.

  8. Willian Cruz
    Posted 15/08/2006 at 22h10 | Permalink

    Olha, pelo que entendi no site do concurso (apócrifo, por sinal), me parece que é sacanagem… Quer dizer, até tem um concurso e tal, mas é justamente para sacanear com os futuros palacianos.

    Na página do concurso tem link para um manifesto dos moradores da Favela Jardim Panorama contra a desapropriação de seus barracos. No final da página, tem o seguinte comentário:

    ” Concurso Ponte Cidade Jardim/Daslu
    Organização do concurso 19/06/2006 13:03
    concurso.ponte@yahoo.com
    Ao ver no jornal A Folha de São Paulo a notícia sobre o lançamento desse empreendimento e sobre o manifesto da Favela Jd. Panorama, resolvemos lançar um concurso com a finalidade de discutir, de forma bem-humorada, esse fenômeno que vem se tornando comum entre os moradores dos grandes centros metropolitanos brasileiros: o medo de se misturar à população de baixa renda. O objetivo do concurso é desenvolver, de forma bem-humorada, propostas para a interligação do Parque Cidade Jardim com a Daslu, que também foi ‘vítima’ de manifesto semelhante. A participação no concurso é aberta a todos (não apenas arquitetos e estudantes), e seu regulamento está disponível no site
    http://www.geocities.com/concurso.ponte/

    Eu acho que o tal concurso até é válido como crítica social, desde que o resultado seja divulgado como tal, exposto à mídia e aos palacianos que lá residirem, em forma de sátira.

    Como o site do concurso foi feito com uma abordagem séria, é muito fácil ser mal interpretado. Me parece que essa abordagem séria é satírica. Espero estar certo.

  9. luddista
    Posted 15/08/2006 at 23h14 | Permalink

    certamente você está certo: é sátira séria.

  10. Anonymous
    Posted 26/08/2006 at 19h26 | Permalink

    Vocês estão reclamando do quê, bando de pés rapados ressentidos?

    Se vocês não têm dinheiro para comprar um apartamento no PCJ, isso é problema seu, não meu. Eu já comprei o meu (no segundo andar, mas já tô dentro!) e não abro mão. Vão plantar coquinho, seus socialistas de quarta.

    “Se aos 20 anos de idade você não for socialista, você não tem coração. Se aos 30 anos continuar sendo socialista, você não tem cérebro.”

  11. Anonymous
    Posted 10/02/2007 at 16h10 | Permalink

    Cada um mora onde pode … se os caros colegas não podem, fica feio ficar falando mal…

  12. Willian
    Posted 18/03/2008 at 12h19 | Permalink

    Essas caracteristicas da pós-modernidade transformam os seres humanos, aqueles que não conseguem seu espaço neste sistema dos “vampiros capitalistas” que tem tanta sede por sangue e dinheiro do trabahador, transformando o outro, o diferente em refugo humano verdadeiros lixos não recicláveis. Dessa maneira essa sociedade dos ricos transfiguram os pobres em espécies perigosas cauasadoras de seus próprios caos social e culpada pela desgraça, miséria, etc e tal em que vivem.

  13. Flávia
    Posted 19/07/2008 at 1h55 | Permalink

    Que coisa feia hein ??? Brasileiro é assim mesmo… Só sabe reclamar… Todos nós sabemos que a desigualdade social é um fato e não um boato… O que podemos fazer ? Em todo lugar do mundo isso existe, mais em alguns lugares, menos em outros, e infelizmente vai ser sempre assim.. Só não me vejo no direito de criticar um projeto desses, principalmente parando prá pensar na quantidade de empregos que um complexo desses gera da construção em diante… Será que alguém tem idéia de quanta gente foi beneficiada desde o início das obras ? A começar dos pedreiros, serventes, etc… e depois da obra pronta, jardineiros, zeladores, ajudantes gerais, ou seja, começando pelos trabalhadores de baixa renda e por aí vai…indo dos cargos de baixa, média e alta renda até os empresários que muito contribuem com isso . Sem contar nos MILHÕES de impostos que a cidade e o estado irão arrecadar… É mesmo “F” viver num país como esse… Se usassem todo o espaço prá construir um projeto tipo “Singapura”, (por exemplo), os próprios beneficiários diretos com certeza iriam achar milhões de defeitos, reclamar um montão… Condições prá ter um apartamento como esse ????? Não, não tenho !!! Mas tenho capacidade suficiente prá admirar, e reconhecer que é realmente “coisa de primeiro mundo”… e que com certeza vai atrair um montão de gente da população de São Paulo, interior e também de turistas… Ou será que o povo brasileiro pensa que turista vem pro Brasil, gasta o dinheiro dele aqui e tá a fim de conhecer “favela” ??????? Parabéns à todos os empreendedores e idealizadores do projeto !! É realmente grandioso, detalhista, suntuoso, arrojado, admirável . Maravilhoso !!! O Brasil, o estado de São Paulo, a cidade de São Paulo e principalmente os brasileiros merecem lugares como esse… Resta aos que realmente não tem a capacidade de reconhecer isso, reclamar !!

  14. Posted 20/04/2009 at 17h04 | Permalink

    Boa Tarde! Gostaria de mostrar aqui a minha indginação sobre esses comentários ( Exlcuindo o da Fávia, penso que ela tem uma boa visão sobre a realidade), pois esse empreendimento está trazendo muitas familias a terem algo na vida como a própria Flávia disse, porém se a construtora fez esse projeto é por que tem gente com bala na agulha pra comprar, e cada um ganha dinheiro e gasta como quer, aposto que alguma pessoa que postou aqui tem um carro 0km ou importado, se está tão preocupado com os valores astronomicos desse empreendimento pq comprou este veiculo?
    Então assim, gostaria que continuassem a contemplar nossa cidade com vários empreendimentos desse tipo. A propósito, sou assalariado, estou correndo atrás do meu e se ganhar na mega sena ou como presidente compraria sim com muito prazer o mais caro que tiver, fora os carros importados… As pessoas tem mesmo que parar de chorar e fazer por merecer, se não quer fazer vai jogar futebol, jogar na mega sena, ou fazer alguma coisa de útil pra sociedade, não vejo fundamentos em um Posto que o NÓIS disse, pq não construir escolas, creches, hospitais e etc… NÓIS o que tenho a te falar é que esse dinheiro não é público, e sim privado de alguma pessoa que quer o melhor pra sua familia ok.
    Bom acho que não vou perder mais meu tempo precioso onde pessoas não entendem a realidade de um pais….

One Trackback

  1. […] favela do Jardim Panorama, vizinha ao nosso Castelo de Versalhes (o “Parque Cidade Jardim”,) já  foi esvaziada. Dará lugar a um bosque privativo e outros apetrechos de maquiagem da […]

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*